Archives

Muros pintados… em Lyon

Recebemos um casal de amigos na última semana e no roteiro deles estava Lyon… confesso que em um primeiro momento desanimei! Já tínhamos ido para lá na Fête des Lumiéres, lembram? E não vimos muita coisa de interessante (exceto a festa propriamente dita) além de uma cidade grande, sem aquele estilo europeu que tanto gostamos. Porém, roteiro das cidades prontos, era a hora de fazer o roteiro do passeio… e Lyon coube a mim!
Primeiro as informações básicas: Lyon fica a 100km de Grenoble, é a terceira maior cidade da França (atrás de Paris e Marseille, com quase 480.ooo habitantes), sendo a segunda maior área urbana (atrás de Paris, obviamente, com cerca de 2.142.732 habitantes), pertencendo à região de Ródano-Alpes… a “nossa” região (dentro dessa região, Grenoble está no departamento Isére).
Quando vou visitar uma cidade, leio a respeito dela nos guias turísticos e nos blogs, para conhecer um pouco da sua história e saber o que visitar. Foi questão de 1 horinha para eu começar a gostar de Lyon… e foram algumas coisas nada típicas me chamaram a atenção, dentre elas, alguns “muros pintados”.
Esses muros, são parte de Lyon, uma arte bem típica da cidade, e tão bem feitos e integrados à paisagem que podem passar desapercebidos.
Existem centenas deles, e como não tinha tempo para ficar procurando (1 dia na cidade somente), peguei um mapinha e marquei a localização de dois mais conhecidos e próximos de onde iríamos.
O primeiro deles é o chamado “La fresque des Lyonnais”, e ele é tão bem feito e interessante, que estávamos na frente do endereço e demoramos um pouquinho para percebê-lo e olhar para cima. Nele estão pintadas diversas personalidades que nasceram na cidade de Lyon, como os irmãos Auguste e Louis Lumière (inventores do cinema – e claro que aqui lembrei do meu irmão), o escritor Saint-Exupéry (autor do livro “O Pequeno Principe” – e lembrei da minha irmã Simone, que adora esse livro), dentre muitos outros como o Paul Bocuse, que é considerado o melhor chefe de cozinha do mundo. As pinturas ainda foram feitas numa ordem, estando nos andares mais altos os personagens ou personalidades mais antigos.
Antes (obviamente foto retirada da internet):
Depois (fotos um pouquinho maiores para verem os detalhes)
20130221_164120
DSC06091
Foto para meus irmãos, Daniel e Simone ;)

Foto para meus irmãos, Daniel e Simone 😉

DSC06099
Essa foto abaixo eu adorei, não dá para acreditar que tem uma loja abaixo? E a sombra do tapete??
DSC06100
Outro muro super conhecido é o chamado “Mur des Canuts”, que foi pintado em 1987. São 1200 metros quadrados (o maior da Europa) de pura arte. O nome se deve ao tema da pintura, pois é a representação da vida dos Canuts, que eram operários do século XIX que teciam seda.   É um muro que realmente está integrado com a paisagem da cidade. Infelizmente não passamos por ele, mas deixo aqui o registro para aqueles que tiverem curiosidade… dêem uma olhadinha na internet, é de impressionar!
Fomos ainda na pintura chamada “La Biblioteque de la Cité”, que apesar da parte superior representar uma biblioteca e não prédios ou imagens urbanas como nos anteriores, também chama muita atenção.
DSC06106
Sua parte inferior é de uma realidade incrível…  não acham?
DSC06108
Ainda encontramos outras pinturas caminhando pela cidade.
20130221_164105
Algumas mais simples, mas que impressionavam pelos detalhes, como os pássaros abaixo.
20130221_164041
20130221_164050

 

Algumas pouco prováveis no meio de uma cidade…

... um leão?

… um leão?

...uma pantera negra?

…uma pantera negra?

 

E para fechar com chave de ouro, com muito orgulho apresento uma pintura que encontrei… aqui no teatro de Grenoble! 😛

20130225_181126

Janelas fechadas…

É difícil perceber em um primeiro momento, mas após saber da história, parece que elas estão por toda a parte… as janelas fechadas!

Eu nunca fui muito boa em História, e meu passado não me deixa mentir a respeito! Mas como já disse aqui no blog, viajando e vendo os lugares de perto, tudo fica mais interessante de ser estudado!

Sendo assim, depois de velha e de quase nada saber sobre a História do Brasil – sim, eu tenho vergonha de assumir isso – quanto mais desse Velho Mundo, passo a pesquisar sobre o que leio e vejo, para a vida e para escrever aqui.

Então… vamos à história!

Durante a Revolução Francesa, em 1789, com a finalidade de cobrar das pessoas mais ricas impostos maiores, foi criado o “imposto sobre portas e janelas”.
Dá para imaginar o que aconteceu né? Os proprietários passaram a fechar as janelas (ainda não encontrei portas fechadas) economizando uns pilas.

DSC05995

em Avignon, France

Na foto acima, conseguimos ver janelas que se mantiveram abertas, fechadas somente com tijolos e as finalizadas com reboco, essas últimas mais comuns, o que tornam as “janelas fechadas” quase imperceptíveis.

Victor-Marie Hugo, mais conhecido como Victor-Hugo (inúmeras praças e ruas levam o seu nome aqui na França), francês, poeta, ativista pelos direitos humanos, e de grande atuação política, disse, a respeito desse imposto:  “Deus nos deu o ar da graça, mas o Estado quer cobrar por ele, fazendo as pessoas morarem em casas escuras e fechadas” (fonte: Gazeta do Sul).

 

Nos meus estudos, descobri que esse imposto não é exclusividade da França… Até o final do século XVII, o Rei Guilherme III da Inglaterra, também cobrava uma taxa pelas janelas existentes nos imóveis. Porém lá o efeito foi inverso, como prova de status, as pessoas passaram a “criar” mais e mais janelas em suas mansões. Ainda, no México também houve a aplicação do mesmo imposto, segundo o texto “os 10 impostos mais absurdos do mundo”

Dizem ainda que a arquitetura de Amsterdã, com suas casas compridas, janelas minúsculas e fachadas estreitas, também deve-se ao chamado imposto sobre janelas ou sobre fachadas. 

Bem, após saber desse imposto e da história, passei a observar a cidade de uma forma um pouco diferente (e as vezes até dolorida, pois o pescoço sofre)… olhando para cima!

20130221_174245

em Lyon, France

20130221_124153

em Lyon, France

20130221_113043

em Chateauneuf du Pape, France

20130221_123631

em Lyon, France

Elas realmente estão em todas as partes…e a prova disso é que mesmo prestando mais atenção agora, algumas “janelas fechadas” escapam aos nossos olhares e só são percebidas após analisarmos algumas fotos, em que elas não eram o foco principal!

DSC06023

Acima, foi feito o registro de uma “subidinha bruta” em Chateauneuf du Pape… e à direita, super discreta, uma janela fechada.

Abaixo, foto de uma caminhada pelas ruas de Lyon, na parte velha da cidade, estilo bem Europeu e muito bonita… à esquerda da foto, mais janelas fechadas.

20130221_162011[1]

Sendo assim, quando estiverem realizando passeios aqui pela Europa, não esqueçam de olhar para cima!! 😉

Em tempo real…

Hoje consegui publicar todos os posts que eu já tinha escrito durante a primeira parte da minha gestação, começando o “Diário da Gestação”. Agora começo a escrever em tempo real, mas em local virtual 😉

 

Sobre as VIAGENS é difícil postar imediatamente, pois os posts mesmo tem fotos e um texto, que normalmente são elaborados após o passeio. Mesmo que eu possa enviar uma foto que outra que tiro com o celular durante o passeio, a publicação pelo celular nem sempre é fácil, pois a internet não ajuda muito, especialmente se forem viagens para fora da França.

 

Ainda estou um tanto atrasada eu sei bem… tem muitas viagens que fizemos e que ainda não tem seu post aqui no blog, mas é que tenho que programar as futuras viagens (com visitas já “agendadas”) e às vezes as pequenas viagens que fazemos durante os finais de semana… mas aos poucos vou deixando vocês a parte da nossa aventura!

 

Aproveitando a onda de visitas que teremos em seguida, pretendo acrescentar algumas dicas nos posts, informações importantes sobre os lugares que visitamos, como as coisas funcionam, como por exemplo os pedágios, as compras de passagens e outras dados básicos mas que na hora de programar uma viagem acabam sendo esquecidos, e após acabam se tornando um pouco mais assustadores do que realmente são. Esse não é um blog com o objetivo de informar as pessoas sobre viagens ou sobre o funcionamento prático das mesmas, como os blogs especializados em viagens, pois o objetivo inicial dele é e sempre foi de que vocês (parentes e amigos) possam acompanhar nossa experiência de morar no exterior por 1 ano, além de diminuir um pouquinho a distância; mas acho que posso contribuir um pouquinho com quem vem para cá, especialmente para aqueles que fazem antecipadamente uma programação da visita 😉

 

No que diz respeito à GESTAÇÃO, agora que é assunto público, posso partilhar “ao vivo” com vocês sobre o meu dia-a-dia, sobre como está sendo a gestação… novos sintomas, as descobertas, as mudanças e as angústias.

 

Não deixem de comentar e até de colocarem nos comentários suas perguntas… eu adoro! É muito bom sentir que vocês estão acompanhando a gente, mesmo que de longe.

 

Ahhh e podem acrescentar críticas, elogios e sugestões, dicas para as viagens e para a gestação… afinal quem não gosta de um pitaquinho né? Sempre temos uma dica, um segredo e, em se tratando da gravidez, às vezes até umas simpatias, especialmente nós mulheres!

 

À tout à l’heure

Começando…

Atrasado, e bem atrasado, vou começar minha contribuição neste blog. Vai ser aos poucos, mas vou tentar manter uma certa freqüência, e colocar aqui a minha visão desta temporada na Europa e introduzir assuntos mais interessantes (haha) como bares, as maravilhosas cervejas do velho mundo (aqui vai ter bastante pano pra manga) e outras coisas conforme a patroa permitir.

Bom, como é só o pontapé inicial, dei uma atualizada na galeria de fotos e troquei a imagem gay (sem ofensas) que tava no cabeçalho. Em seguida vou  ver se coloco posts atrasados que estou devendo pra Aline faz tempo, como o da Oktoberfest.

Buenas, era isso. Abraços.

 

Passeio de domingo

Num domingo de sol, já raros nesta época do ano, resolvemos fazer mais um passeio aqui por perto.

Combinamos com duas amigas e partimos para um passeio dominical… Objetivo? Conhecer uma famosa gruta que fica próxima à Grenoble.

Passeio sem grandes expectativas no início, é bem verdade, pois para mim grutas são para serem visitadas no verão 😛

Primeira parada nos rendeu uma visita a uma pequena feirinha de rua. Nada de especial! Veio a frustração! Mas relaxei, afinal só de sair de casa, passear com o Cris e as amigas já estava bom!

:/

E seguimos viagem… e a coisa começou a ficar boa. Já na estrada a paisagem mudou, e nos deparamos com a cena abaixo, a estrada passando por dentro da montanha!

Por dentro da montanha

Logo mais, um riachinho nos acompanhava pelo caminho, além dos inúmeros penhascos… pausa para o registro:

Em uma das paradinhas, encontramos uma lindo local onde “deveria ter” um café… no meio do nada, esse local serviu de inspiração para um “chá imaginário” com as amigas!! Só nós mesmas!!

Nosso almoço foi na pequena cidade de Pont-en-Royan, famosa pelas suas casinhas de pedras e coloridas, encravadas na montanha, chamadas casas em suspensão! O Rio Drôme também é lindo, com águas límpidas, compõe um local digno de pintura.

Apenas para registrar, Pont-en-Royan é um pequeno vilarejo (com 2,9km² de área), com 917 habitantes, segundo o censo de 1999. Repararam??? 😮  É menor que a nossa querida São Martinho!!

casas suspensas

Com a barriga cheia após prato principal e sobremesa 😛 fomos para o ponto alto do dia: Grottes de Choranche.

Na chegada, o penhasco coberto por árvores amarelo-alaranjadas nos encantam…

Grottes de Choranche é uma gruta pré-histórica, com mais de 70.000 anos, descoberta tardiamente em 1875, devido a sua difícil localização, na base de um penhasco. Possuindo 60 metros de diâmetro e 18 de altura, vocês podem imaginar a surpresa dos moradores da cidade de Chorange que a descobriram… como pode uma gruta deste tamanho (32km) estar dentro da rocha?

Olhando o penhasco sobre nossas cabeças

Tudo isso dentro da montanha

Centenas de estalactites tubulares de 4mm de diâmetro formam uma das grandes maravilhas naturais da Europa, por muitos desconhecidos. São formados por um mecanismo natural e perfeito, e muito demorado, afinal para ter-se 5cm desse canudo, demora mais de 100 anos. Os desta caverna chegam a ter 3 metros!!

Cavernas como essa servem como moradas para animais estranhos como os “olms” (anfíbios), há 60 milhões de anos. Esse animais não tem cor e são cegos. Sendo os maiores animais das cavernas do mundo, são raríssimos, claro.

A segunda parte da caverna possui muita água corrente e luzes coloridas que dão um charme todo especial ao local.

Para fechar com chave de ouro, um show na caverna catedral, na parte superior da gruta (que tem como extensão total 32km – apenas 500m são visitados) descoberta em 1950, sua beleza é potencializada pelo show de luzes e som.

Caverna Catedral

Saindo deste belíssimo passeio, que superou todas as nossas expectativas, chega a hora de voltarmos para Grenoble. Antes um registro do Grupo nota dez desse passeio…

…Que venham outros!!

As garotas…

…com o Cris

 

 

 

 

Aline

Sempre soube que meu nome é de origem francesa, mas acredito que a escolha não teve nenhuma relação com algum momento francês ou algo assim, pois infelizmente meu pai sequer conheceu esse lado do mundo!! 🙁

Bem, mas o fato é que aqui, quando me apresento, sempre escuto algum comentário sobre ser um nome francês (especialmente das professoras de francês), ou de ser o oposto de Alan – porque desse comentário eu não sei, vai ver que Alan é um nome bem conhecido por aqui!

Hoje, pesquisando em alguns sites que ensinam expressões em francês, me deparei com essa raridade… Aline – música de Christophe, de 1965. Essa foi a primeira música de sucesso deste cantor e compositor francês, que nasceu em 1945. Alguém realmente acredita que seja só uma coincidência esse sucesso? 😛

Clique aqui para ver o vídeo!

Aline – Christophe

J’avais dessiné sur le sable – Eu tinha desenhado sobre a areia
Son doux visage qui me souriait – Seu suave rosto que me sorria
Puis il a plu sur cette plage – Depois choveu sobre essa praia
Dans cet orage, elle a disparu – Nessa tempestade, ela desapareceu

Et j’ai crié, crié, Aline, pour qu’elle revienne – E eu gritei, gritei, Aline, para que ela voltasse
Et j’ai pleuré, pleuré, oh! j’avais trop de peine – Eu chorei, chorei, oh! eu sentia muita dor

Je me suis assis près de son âme – Eu me sentei perto da sua alma
Mais la belle dame s’était enfuie – Mas a bela dama fugiu
Je l’ai cherchée sans plus y croire – Eu a procurei sem mais acreditar
Et sans un espoir, pour me guider – E sem esperança para me guiar

Et j’ai crié, crié, Aline, pour qu’elle revienne – Eu gritei, gritei, Aline, para que ela voltasse
Et j’ai pleuré, pleuré, oh! j’avais trop de peine – Eu chorei, chorei, oh! eu sentia muita dor

Je n’ai gardé que ce doux visage – Eu guardei apenas esse suave rosto
Comme une épave sur le sable mouillé – Como um farrapo sobre a areia molhada

Et j’ai crié, crié, Aline, pour qu’elle revienne – Eu gritei, gritei, Aline, para que ela voltasse
Et j’ai pleuré, pleuré, oh! j’avais trop de peine – Eu chorei, chorei, oh! eu sentia muita dor

Et j’ai crié, crié, Aline, pour qu’elle revienne – Eu gritei, gritei, Aline, para que ela voltasse
Et j’ai pleuré, pleuré, oh! j’avais trop de peine… – Eu chorei, chorei, oh! eu sentia muita dor…

 

 

COUPE ICARE

É impressionante como aqui na região tem inúmeras programações!

No final de semana de 23 de setembro – ok, sei que estou atrasada para escrever – decidimos ficar na cidade, pois precisávamos nos preparar para a nossa mudança (enfim iríamos para o nosso apartamento). Mas claro que as figuras aqui não conseguem ficar em casa… e após um sábado cansativo de compras (desta vez para a casa), no domingo partimos para a 39ª Coupe Icare.

 Trata-se de um final de semana, em uma localidade próxima de Grenoble, onde ocorre um grande evento relacionado ao mundo do vôo livre… há pessoas de todo o mundo participam (inclusive brasileiros) voando e demonstrando seus parapentes, paraquedas e balões super coloridos, fazendo a alegria de todos que vão prestigiar o evento.

Ônibus gratuito saindo de Grenoble, chamamos alguns amigos e partimos.

Chegando no local (após 2h30min de ônibus), nos deparamos com uma apresentação de gaviões e corujas “adestradas” (e outros animais estranhos)…

Esse rapaz abaixo fez uma breve apresentação… “domava” o vento com seu paraquedas e um roller, na beira do abismo…

Passeios como estes são muito comuns e famílias se reúnem para curtir o final de semana juntos! Neste dia em especial, infelizmente o clima não ajudou muito, pois devido ao vento (ou falta dele) o pessoal não estava fazendo parapente e os balões estavam impedidos de sobrevoarem a região…

Apesar disso, sentamos na grama e curtimos um bom vinho e uma boa conversa com os amigos, enquanto admirávamos a paisagem e os poucos sobrevoos realizados.

Neve em Grenoble

Bonjour…

Como todos já devem saber, seja porque eu não parava de ligar ou pelas fotos do facebbok, neste último domingo nevou em Grenoble!! E eu não podia tardar para escrever sobre ma première neige (minha primeira neve)!!

Mas contarei do início…

No sábado, vimos a previsão de neve para o final de semana, neve fraca é bem verdade, ao menos em um primeiro momento era o previsto. Sendo assim, decidimos ir comprar roupas adequadas para correr e passamos a tarde dentro de uma loja. Ao sairmos… friozão!! E a diferença para os demais dias foi tanta, que resolvemos bater fotos para mostrar, aqui no blog, como estávamos agasalhados, nada comum para o início do outono!

Frio de renguear cusco

Frio de empedrar água de poço

Após, mais ou menos uns 30 minutos dessa foto, ao descermos do trem urbano daqui de Grenoble, a surpresa… neve!!

Alguns floquinhos de neve, que se confundiam com chuva é bem verdade, estavam caindo! A Alinizinha aqui, claro, ficou “mais faceira que pinto no lixo” (palavras do maridão)! Só dava eu na estação pulando e batendo fotos, afinal o frio estava de lascar… -1ºC com sensação de -7ºC. O vento era tão forte, que nos fazia parar de caminhar (e olha que o casal aqui não é dos mais magrinhos)… nossas mãos ficaram “congeladas” a ponto de perdermos o tato e sentirmos dor ao aquecê-las.

image

Bem, foi o tempo de chegar em casa, nos esquentarmos e fazermos vídeo-conferência com as famílias para mostrar a neve que… a bichinha aumentou! Aí já viu… mandei até recados escrevendo na neve dos carros 😉

5h20min da madrugada, acordo para o “pipis noturno” e dou uma espiadinha no jardim…
NEVEEEEEE… muita neveeee!!

“Cris acordaaa… tem neve igual o Natal no nosso jardim!” Jurando que alguma vez eu vi neve no Natal! 😛

Coloquei minha roupa Gre-nal e me fui para a rua… aquela rua toda branquinha, só minha, nem pegadas tinha… me apaixonei!! Pulei, sentei na neve e até comi a danada (conselho da minha professora de francês). Fiquei tão feliz, que mal conseguia pegar no sono depois!!

20121027_200042[1]
Bem, a história foi gradual: frio, neve fraca, mais neve acumulada e… quando acordei (de novo)… muito mais neve!! Já viu, fiquei como mosca em tampa de xarope!! 😉
Tomamos um bom café da manhã (afinal o corpo gasta energia para se manter aquecido – que desculpa hein?!) e partimos para passear na cidade e na neve!

Primeiro enfeitamos nosso jardim!!

Boneco de neve… clássico!

Ceva na neve… clássico!

A cidade mudou completamente… uma paisagem jamais vista por mim… fiquei apaixonada!
Tudo branquinho, lindo!!

Outono coberto de neve, uma combinação perfeita!

A força das rosas!

Passeando…

Cidade branca… bastilha ao fundo!

telhados brancos

Bastilha ainda mais linda!

Não exitamos… subimos de teleférico!! Que linda a paisagem…

Como não podia deixar de ser… eu e o Cris nos divertimos muito com a neve!

Na escultura alheia

Gelando a poupança…

…e o corpo todo!

Pensa rápido!

Curtimos a paisagem e também namoramos um pouquinho!

Encontramos alguns amigos brasileiros, o que rendeu muita guerrinha de neve e boas risadas!

Guerrinha de neve… imperdível!

Raquetada na neve!

Aguardamos a noite na bastilha para vermos as luzes da cidade se acenderem… e valeu muito a pena!

É importante salientar que, segundo informações dos noticiários e rádios daqui, essa “tempestade de neve” é super Anormal, ocorrendo a cada 10 anos, mais ou menos! Primeiramente pela época do ano, pois estamos no outono! Segundo, porque aqui em Grenoble não é comum nevar tanto a ponto de acumular nas ruas dessa maneira.

Posso dizer então que sou uma pessoa de muitaaaaa sorte hein?

Ahhh e não poderia encerrar sem antes agradecer ao maridão… que já conhecia a neve e teve toda a paciência do mundo comigo, toda faceira neste dia super especial e inesquecível!! Obrigada pelo companheirismo e pelo amor!!

Fort de la Bastille

Como já dito anteriormente, Grenoble é rodeada por montanhas, o que deixa a cidade um tanto charmosa. Na Chartreuse (montanha situada ao norte da cidade), encontramos o Fort de la Bastille, uma construção militar antiga, construída entre os anos de 1823 e 1847. E este foi o nosso passeio em um domingo de sol!

Hoje é principal atração turística da cidade, da Bastille temos uma vista incrível da cidade… Situada a mais de 450m de altura, existe a possibilidade de chegar no forte de teleférico ou pelas inúmeras trilhas que existem no local.

Nós optamos, é claro, pela subida por uma das trilhas! Então segue o registro do nossos objetivo…

Bastille ao fundo

O passeio é lindo, a cada etapa vencida na subida, paisagens se revelam para o registro das máquinas fotográficas.

Paisagens lindas

Existe ainda a possibilidade de subir fazendo escaladas, aqui denominadas Via Ferrata, mas já é um grau um pouco mais elevado para os principiantes aqui 😉 As escaladas são realizadas neste imenso paredão da montanha.

Via ferrata

Grenoble possui uma Avenida chamada Jean-Jaurès, que dizem ser a maior avenida em linha reta da Europa. Escutamos várias histórias a respeito, inclusive que essa avenida foi dividida (trocaram o nome após certa distância) para que a Champs-Élysée ficasse com esse “título”. Segundo o site http://www.grenoblecmieux.com/L-avenue-la-plus-rectiligne-d.html e pesquisas minhas, essa informação não procede, eis que a famosa avenida parisiense possui apenas 2km, e apenas umas das partes da Avenida de Grenoble, considerando-a dividida, tem 2,5km. Considerando-a na sua totalidade temos pouco menos que 8km.

Jean-Jaurès

Lançada a discussão, seguimos no passeio…

subindo…

Teleférico, carinhosamente chamado de “Bolhas”

Curiosidade: o teleférico de Grenoble é o mais antigo teleférico urbano construído no mundo, datado de 1934. Subindo por ele, passa-se por cima do Rio Isère, com uma vista linda.

Chegando no Forte, fomos curtir o terraço do restaurante (sim há um restaurante com uma vista incrível lá, jantinha programada para as visitas), onde há o mirante Vauban com diversas informações sobre a história do local e da cidade, além da indicação dos pontos turísticos e prédios da cidade que se encontram diante dos nossos olhos. A vista deste local é sensacional, e ficamos por um bom tempo curtindo o solzinho, ou no bom gauchês… lagarteando!

Rios Isère e Drac

Estudando a paisagem

Lagarteando

 Grenoble foi cede das olimpíadas de inverno de 1968, e no terraço da bastille há informações a respeito… na foto a informação de que nesta olimpíada foi criado o primeiro mascote olímpico.

O primeiro mascote

Mascote

Subindo um pouco além da parte principal da Bastille, encontramos as Grutas Mandrin, que foram construídas em 1844 para servir como esconderijo para os soldados se movimentarem sem serem vistos pelos inimigos… são corredores imensos e escuros, muito interessantes.

Entrada para a gruta

…descendo…

nos corredores da gruta

 E subindo ainda mais chegamos em um local lindo, onde foi construído um monumento para homenagear os chamados “Soldados das montanhas”. Neste local há um monumento e placas de mármores com homenagens e nomes dos soldados.

Encerrando o dia, nosso retorno com vistas ainda mais bonitas!

As cores do outono

13 anos juntos!

Hoje, 16 de outubro de 2012, eu e o Cris completamos 13 anos juntos!

Deixo aqui registrado que sou muito feliz, uma mulher/esposa realizada ao lado do Cris.

São muitos os momentos que passamos juntos… na grande maioria momentos de alegria intensa, e aqueles mais difíceis foram suavizados pela presença e pelo companheirismo um do outro.

 

Muito obrigada Cris…

…e que venham mais e mais anos juntos!

“Serás para mim único no mundo e eu serei para ti única no mundo.”

Antoine de Saint-Exupéry