Archives

Marseille

No último final de semana resolvemos ir para a praia, pois a previsão do tempo anunciava chuva para o próximo. Assim, alugamos um carro e nos tocamos para o litoral!

O destino escolhido foi Marseille, cidade mais antiga da França que fica no litoral, na costa mediterrânea. É a segunda maior cidade francesa, sendo a terceira maior região metropolitana.

A cidade é muito bonita, com prédios antigos, não muito altos, na grande maioria. Mas o que mais chama a atenção é o litoral, muito diferente do que temos no Brasil, formado por paredões de calcário que se adentram ao mar.

Na foto abaixo podemos ter uma idéia desse litoral que mistura área urbana com a beleza natural das rochas e do mar azul.

 

As Calanques, que no conceito de Rachel Verano (http://viajeaqui.abril.com.br/blog/viajar-bem-barato/contra-a-afetacao-da-cote-dazur-calanques-em-cassis/ – pq copiar é crime, hehe) são “pequenos braços de mar que recortam o litoral ladeados por falésias calcárias e formam prainhas de sonho”. Para mim uma descrição perfeita!

Nos afastando um pouquinho do centro da cidade chegamos nas primeiras Calanques, na divisa com a Ile Maïre. A vista da água azul com um paredão branco na frente é maravilhosa! Esses paredões podem chegar a 500m de altura.

ao fundo a “Ile Maïre”

Ao final do nosso primeiro dia em Marseille, fomos ver o pôr-do-sol na praia, um momento incrível!

Porque a vida vale muito a pena…

…ao lado de quem amamos…

…ou lembrando de quem amamos!!

A noite, jantinha num bar escolhido pelo Cris! 😉 Janta boa, ambiente gostoso e ceva… muito boa!

O Cris estava realizado nesse bar!

 Nosso domingo foi dedicado as Calanques, pois há uma área extensa dessa formação, de cerca de 20 km entre as cidades de Marseille e Cassis, área verde do mapa abaixo. Neste mapa dá para ver os dois locais que visitamos de perto: Ile de Maïre e Calanque de Sormiou.

Mapa das Calanques

Para conhecermos todas, precisamos fazer uma caminhada de aproximadamente 11h (em ritmo bom de caminhada) ou comprar um passeio de barco, que infelizmente nesta época do ano não permite um mergulho durante o passeio. Escolhemos a segunda opção, devido a falta de tempo e de preparo (precisaríamos estar bem equipados para fazer as trilhas).

No início do passeio, já passamos próximo ao Castelo de If, que é uma antiga prisão situada numa ilha. Essa prisão ficou famosa no romance “O Conde de Monte Cristo” de Alexandre Dumas.

Castelo de If, onde ocorreram as filmagens de “O Conde de Monte Cristo”

Entradas do Mar Mediterrâneo, formando as Calanques

Sol dando um colorido especial ao passeio

 Na parte da tarde, decidimos visitar uma praia, na Calanque Sormiou. Para isso caminhamos por aproximadamente 30 minutos em uma trilha. Ficamos impressionados com a disposição dos franceses em realizar esse tipo de passeio, encontramos pais com filhos nas costas e crianças correndo e brincando pelo caminho, deixando-nos com vergonha do nosso cansaço 😉

Avistando a Calanque de Sormiou

Após um banho refrescante

Na trilha, muito bom!!

Ao final do dia, o local para curtir o pôr-do-sol foi a Basílica de Notre Dame de la Garde, a principal Basílica da cidade que fica a 149 metros de altitude, onde tivemos uma bela vista da cidade, encerrando com chave de ouro nosso passeio!

Foto especial para a mãe-sogra D. Luiza… lembramos com carinho de ti!

Admirando a vista, curtindo o momento!

GENEBRA

Nossa primeira viagem para o exterior (o que aqui é muito fácil fazer) foi para Genebra/Suíça, no sábado dia 18/08. Na companhia da Débora Matos, uma brasileira que nos esperou para realizar esse passeio, saímos cedinho de Grenoble e viajamos por 2h10min.

Genebra é a segunda maior cidade da Suíça, apesar de ser pequena (com aproximadamente 190 mil habitantes e área metropolitana de 471 mil habitantes). Está entre as cidades com melhor qualidade de vida do mundo, sendo a quarta da lista.

Chegando na cidade, fomos conhecer o Lago Léman, também conhecido como Lago Genebra, que é o segundo maior lago da Europa Ocidental. A fronteira entre França e Suíça passa no meio do Léman. Nele há um lindo Jato d’água – Jet de L´Eau – símbolo da Genebra Moderna e que se eleva a 138m de altura, e pode ser visto de diversos pontos da cidade.

Jet de L´Eau

Lago Léman

Nas margens do lago há também o famoso Relógio de Flores (que nesta época do ano não está florido, mas mesmo assim é bonito), criado em 1955, que representa o poder da Relojoaria Suíça, sendo um dos pontos turísticos mais visitados da cidade.

Relógio de Flores e Ponteiros Brasileiros!

Em alguns cantinhos do lago, as pessoas ficam tomando sol e banho, lotando os pequenos gramados. Neste dia em especial estava muito quente e ali era realmente o melhor lugar para ficar.

Praia improvisada

Na “praia” com nossa amiga Débora

Fomos conhecer também a parte antiga da cidade, muito charmosa, com ruazinhas estreitas e muito arborizadas. Na foto abaixo vocês podem ver uma das várias praças e a arquitetura desta parte da cidade, onde os prédios são antigos, não muito altos e na grande maioria com flores nas pequenas sacadas. Tudo dando um charme especial a Genebra.

Genebra antiga

No Parc des Bastions visitamos o Muro da Reforma, ou Monument International de la Réformation, onde há a imagem dos pioneiros e protetores da Reforma protestante. O parque foi projetado em 1726 com o objetivo de servir como espaço para a caminhada real. Neste parque também fica a Universidade de Genebra.

Monument International de la Réformation

Parc des Bastions

Genebra é a cidade sede da ONU na Europa – a outra sede fica em Nova Iorque. É um complexo de edifícios chamado Palais des Nations, e abriga o Conselho de Direitos Humanos da ONU. Na frente da sede, há um grande corredor com as bandeiras de todos os países membros da ONU.

Esbanjando charme no Palácio das Nações

Bandeiras ao fundo

Nações Unidas

Em frente ao Palácio das Nações encontramos a Praça das Nações, um lindo espaço com fontes e com a Chaise Cassée (cadeira quebrada), monumento que é símbolo da luta para o desarmamento das minas terrestres, onde a perna quebrada da cadeira representa os mutilados pelas minas.

Fontes da Praça das Nações

Tentando consertar a Chaise Cassée

Nosso passeio durou apenas um dia, pois como Genebra é pertinho de Grenoble (140km) e a cidade é pequena, conhecemos quase todos os pontos turísticos.

Terminamos o dia com uma cervejinha em um bairro dito boêmio e partimos de volta para a França… cansados, mas muito felizes!!

Voltando para Grenoble

 Au Revoir!!