Tag Archive | viagens

Uma nova forma de hospedagem…

Hoje decidi escrever sobre uma nova forma de hospedagem que descobri quando já estava morando aqui na França, apesar da indicação ter vindo do meu irmão.

Trata-se do AIRBNB, um site no estilo booking, porém onde os particulares colocam seus imóveis para “alugar” por curtos períodos.

Utilizei por duas vezes e fiquei super satisfeita!

 

Funciona da seguinte forma: você entra no site www.airbnb.com.br e preenche os campos “para onde você quer ir?”, datas de chegada e partida, e quantidade de hóspedes.

Podes refinar a sua busca na coluna da esquerda, escolhendo, por exemplo, se queres que o imóvel esteja todo disponível (pois há pessoas que alugam quartos, privativos ou compartilhados, e que permanecem na casa, essa opção ainda não experimentei), reduzindo o preço da diária para a faixa que seu orçamento permitir, escolhendo a localização dentro da cidade (bairro) já selecionada inicialmente e/ou ainda selecionando algumas comodidades que entendas essenciais, como estacionamento, internet sem fio, piscina, permissão para fumar, etc. Aí é só analisar as opções ofertadas vendo as fotos, a localização através do mapa (que inicialmente, por motivo de segurança, não é exata, mas bem aproximada), as regras do imóvel e suas características. Do lado direito já vai aparecer o preço da diária, a taxa do site e da limpeza, e mais alguma peculiaridade se houver, como por exemplo, valor adicional acima de um número pré-determinado de pessoas no imóvel.

É super importante dar uma olhadinha nos comentários que ficam na parte inferior da página, pois neles podem conter informações que na descrição do imóvel não constam, como por exemplo, se o imóvel é menor que o tamanho que aparenta nas fotos, se tem água quente (aqui na França é um problema a ser analisado, pois normalmente os tonéis de água quente servem um número limitado de banhos), condições de limpeza, segurança da rua/área ao redor do imóvel (para analisar se podes voltar caminhando para o imóvel a noite), hospitalidade e ajuda do anfitrião, dentre inúmeras outras informações importantes.

Antes de efetuar a reserva, é possível entrar em contato com o proprietário do imóvel através de mensagens pelo site, para tirar quaisquer dúvidas sobre o imóvel ou solicitar informações adicionais. No meu caso, as respostas foram sempre super rápidas. Tais consultas são recomendáveis pelo próprio site, sendo até mesmo necessárias várias consultas para encontrar um imóvel que o satisfaça.

 

Há uma série de recomendações do próprio site (no link “confiança e segurança”, na parte inferior da página principal) que são interessantes ler antes de utilizá-lo, como por exemplo, apenas se comunicar com os proprietários/interessados através do site, pesquisar sobre a pessoa com quem estás negociando através de outras que já alugaram o imóvel em questão, além de informações sobre como funcionam os pagamentos (só é liberado ao proprietário 24h após sua saída do imóvel, caso não tenha ocorrido nenhum problema a ser solucionado). Há também garantias para quem aluga, como não podia deixar de ser, como a possibilidade de reclamar caso tenhas danificado o imóvel e o consequente desconto do valor do dano direto do seu cartão.

 

O lado bom do AIRBNB (na minha opinião):

* normalmente os preços são mais convidativos que os dos hotéis, especialmente se forem mais de duas/três pessoas;

* liberdade para utilizar a cozinha e assim diminuir os gastos da viagem com alimentação;

* liberdade para as crianças que possuirão mais espaço;

 

Minhas experiências:

1) Em Barcelona –> estávamos, eu e o Cristiano, com mais um casal de amigos, e alugamos um apartamento no centro de Barcelona pagando o mesmo preço que pagaríamos para ficar em um Hostel com banheiro compartilhado e camas beliches. Essa experiência foi muito interessante, inicialmente porque os proprietários da casa estavam viajando, deixando a chave com uma amiga. Só conhecemos os proprietários na hora da entrega das chaves, no último dia. Porém isso não significou que não tivemos assistência dos mesmos, por mensagens estavam sempre dispostos (os donos do apartamento e a própria amiga) a nos ajudarem, inclusive com indicação de restaurantes. O que achamos mais interessante foi que eles simplesmente saíram de casa, deixando-a em ordem para nós, mas com todos os seus pertences (como se tivessem saído para ir na padaria): porta-retratos, bebidas, alimentos na geladeira, etc. Uma casa normal… Claro que nós, como “inquilinos” precisamos ter o bom senso e não utilizar as coisas da casa, por isso compramos nossa alimentação e usamos a geladeira sem nenhum problema. Preparamos nossa ceia de ano novo e assim economizamos uma grana boa jantando em casa com os amigos.

Esse casal utilizava o airbnb há uns 6 meses, então já tinham instruções básicas na geladeira, bem como espalhadas pela casa (em cima da mesa, lembrando de usarmos os porta-copos para não estragar o móvel; no armário, avisando que ali estavam suas roupas e que não deveríamos abrir aquela parte; ensinando como usar o aquecedor), além de informações sobre a cidade e um mapa a nossa disposição, com a indicação dos pontos turísticos e meios de transporte.

 

2) Em Roma –> alugamos um apartamento de um brasileiro (o que facilitou a comunicação, pois não falo italiano, mas normalmente o inglês é bem compreendido por todos) super bem localizado, ao lado do Vaticano. Essa experiência foi um pouco diferente, pois o imóvel parecia mesmo para alugar, não tinha qualquer resquício de que alguém morasse nele. Os utensílios de cozinha eram em número reduzido (mas suficientes), não haviam armários ocupados com roupas ou alimentos. Apesar de também recebermos as chaves de uma amiga do proprietário, ele esteve sempre a disposição para nos ajudar pelo telefone.

Foi um verdadeiro achado, eis que fomos numa época em que os hotéis estavam absurdamente caros (troca do Papa), e estávamos em 5 adultos e 4 crianças, o que tornaria o nosso gasto com hotel gigantesco – pagamos em torno de 1/3 do valor que gastaríamos em hotel. Para as crianças foi super bom, pois podiam ficar bem a vontade no apartamento, além de termos um ponto de apoio para o descanso, necessário nesta situação.

 

Bem, agora eu sempre procuro no Airbnb paralelamente ao booking, especialmente se ficarei na cidade por mais de 2 dias (pois na minha opinião para ficar 1 dia, nada melhor que um hotel ou mesmo um hostel – desses falarei em um post futuro) e se estamos com mais pessoas (acho que o ideal para compensar o valor dos hotéis é a partir de 4 pessoas, pois com 3 ainda encontramos bons preços nas redes de hotéis “ibis e cia limitada”). Percebo também que é uma ótima opção para aquelas datas importantes, em que normalmente os hotéis duplicam ou até triplicam suas diárias (na época em que fomos para Roma, um hotel que tinha ficado 2 meses antes estava cobrando 3 vezes o preço da diária), como ano Novo, Páscoa, Natal, etc.

 

Decidi escrever este post, pois sei que nós brasileiros estamos calejados pela insegurança e violência que vivemos em nosso País, infelizmente. E percebo ao comentar sobre o airbnb e outras facilidades que descobri aqui, que criamos uma proteção natural, e desconfiamos das pessoas que estão a nossa volta; temos a sensação de que sempre terá alguém querendo “passar a perna na gente”, não é? É claro que pode dar errado, que podemos nos deparar com uma pessoa mal-caráter, que anuncia um imóvel em condições diferentes das reais, ou pior, que não existe; mas hoje acredito que as chances são pequenas, que no geral, “o esquema funciona bem”. Sei que facilita muito estar aqui na Europa, onde as pessoas tem uma visão diferente desses serviços, talvez por não vivenciarem a nossa violência, realmente não sei se usaria o airbnb dentro do Brasil. 🙁

Bem… acho que vocês entendem o meu posicionamento acima, espero que sim!

 

Mas o post foi feito com o objetivo de deixar essa dica e tentar orientar um pouquiho. Hoje, em minhas viagens, eu uso o airbnb… e recomendo!!

 

Caso tenhas alguma experiência a respeito e queira compartilhar… será bem legal! Use os comentários abaixo!!

 

😉

 

Em tempo real…

Hoje consegui publicar todos os posts que eu já tinha escrito durante a primeira parte da minha gestação, começando o “Diário da Gestação”. Agora começo a escrever em tempo real, mas em local virtual 😉

 

Sobre as VIAGENS é difícil postar imediatamente, pois os posts mesmo tem fotos e um texto, que normalmente são elaborados após o passeio. Mesmo que eu possa enviar uma foto que outra que tiro com o celular durante o passeio, a publicação pelo celular nem sempre é fácil, pois a internet não ajuda muito, especialmente se forem viagens para fora da França.

 

Ainda estou um tanto atrasada eu sei bem… tem muitas viagens que fizemos e que ainda não tem seu post aqui no blog, mas é que tenho que programar as futuras viagens (com visitas já “agendadas”) e às vezes as pequenas viagens que fazemos durante os finais de semana… mas aos poucos vou deixando vocês a parte da nossa aventura!

 

Aproveitando a onda de visitas que teremos em seguida, pretendo acrescentar algumas dicas nos posts, informações importantes sobre os lugares que visitamos, como as coisas funcionam, como por exemplo os pedágios, as compras de passagens e outras dados básicos mas que na hora de programar uma viagem acabam sendo esquecidos, e após acabam se tornando um pouco mais assustadores do que realmente são. Esse não é um blog com o objetivo de informar as pessoas sobre viagens ou sobre o funcionamento prático das mesmas, como os blogs especializados em viagens, pois o objetivo inicial dele é e sempre foi de que vocês (parentes e amigos) possam acompanhar nossa experiência de morar no exterior por 1 ano, além de diminuir um pouquinho a distância; mas acho que posso contribuir um pouquinho com quem vem para cá, especialmente para aqueles que fazem antecipadamente uma programação da visita 😉

 

No que diz respeito à GESTAÇÃO, agora que é assunto público, posso partilhar “ao vivo” com vocês sobre o meu dia-a-dia, sobre como está sendo a gestação… novos sintomas, as descobertas, as mudanças e as angústias.

 

Não deixem de comentar e até de colocarem nos comentários suas perguntas… eu adoro! É muito bom sentir que vocês estão acompanhando a gente, mesmo que de longe.

 

Ahhh e podem acrescentar críticas, elogios e sugestões, dicas para as viagens e para a gestação… afinal quem não gosta de um pitaquinho né? Sempre temos uma dica, um segredo e, em se tratando da gravidez, às vezes até umas simpatias, especialmente nós mulheres!

 

À tout à l’heure

Feliz 2013!! (escrito em 06/01/2013)

Feliz 2013!! Que ele seja tão maravilhosos para todos vocês que estão acompanhando o nosso blog como ele promete ser para a nossa família!   Após as festas de final de ano e viagens para visitar a família francesa e com os amigos… a vida volta ao normal!! Graças a Deus tudo correu tranquilamente com os passeios. Inicialmente em Paris, consegui fazer quase toda a programação, que foi intensa, quase toda a pé! Apenas à noite fizemos algumas modificações e jantamos perto do apartamento em que estávamos ou no local do último passeio do dia, não se deslocando muito para jantarmos e não esticando a noite, afinal o dia era puxado! Em Tours a maratona ficou por conta da cozinha francesa!! Comemos muito… tudo tranquilo para uma gestante (evitando os vinhos deliciosos presentes em todas as refeições e as ostras tradicionais de Natal).   O papai Cris, logo que soube da gravidez, se mostrou um pouco preocupado com nossa viagem de final de ano. Já estávamos com tudo certo… amigos com passagem comprada e planos de viajar de carro… fácil a administração: com os amigos companheiros de ceva, eu ficaria de “motorista da rodada”, pois bebidas alcoólicas estão proibidas!! O Cris ficou apreensivo até a primeira consulta médica, em que o médico foi claro ao afirmar que era para “seguir a vida normal” e que “poderia dirigir”. Neste quesito tudo certo… não tive muitos dias de cansaço e pude acompanhar o grupo nos passeios e até nos bares, especialmente em Barcelona… acho que a Espanha é o país das cervejas sem álcool! Trouxe um estoque!!   Hoje, dia seguinte ao final das férias de final de ano, o dia foi de descanso!! Dormir sem despertador e esticar um pouco no sofá no meio da tarde ajudaram na recuperação!!   No final desta semana teremos nossa segunda consulta médica, e apesar do médico não ter me pesado na primeira, o medo tá batendo, pois a balança daqui de casa (não é muito boa, mas é o que temos no momento) acusou 2kg a mais desde a nossa saída de casa no dia 21/12.   O nosso bebê completa hoje (pela contagem brasileira) 11 semanas!! Tem um pouco mais de 4cm e aproximadamente 8 gramas… cresce rápido esse pitoco!! Segundo minhas leituras, ele já se mexe bastante, apesar da mamãe aqui não sentir nada.   Logo logo, completando 3 meses, poderei espalhar a notícia entre os amigos e familiares, e partilhar a nossa alegria!!

Paris – parte 2

No segundo dia na Cidade Luz, em 22/12/2012, dia programado para subir na Torre Eiffel, tivemos chuva e frio!

Felizmente e infelizmente compramos nossos bilhetes, com hora marcada pela internet (super fácil, no site http://www.tour-eiffel.fr/ –> canto superior direito, em tickets. Você escolhe o dia e horário disponível e basta levar o comprovante impresso ou mostrar no celular mesmo). Felizmente porque é uma facilidade muito grande, pois em dias normais, evita as imensas filas, que podem durar até duas horas. Infelizmente porque a data e horário são inalterados, e o bilhete não é reembolsado e nem pode ser vendido, por ser nominal (teoricamente podem pedir a sua identificação, mas para nós não pediram, e ambos os bilhetes saíram no meu nome).

Assim, lá fomos nós… às 9h30min com chuva, visitar (e no caso do Cris, conhecer) a tão bela e famosa Tour Eiffel.
Projetada por Gustave Eiffel como um monumento temporário, foi construída para a Exposição Universal de 1889 para comemorar o centenário da Revolução Francesa. Com 324 metros de altura, manteve-se como “edifício” mais alto do mundo até 1931.

Infelizmente devido ao mau tempo, a vista não foi das melhores, e consequentemente o registro fotográfico também não. Porém, em decorrência dessa chuva, quase recebemos  certificado de visita mais prolongada, pois ficamos nada mais nada menos que 3 horas na Torre Eiffel.

Tentando um registro... apesar do tempo!

Tentando um registro… apesar do tempo!

Na Torre tem muito o que se fazer, na parte superior tem uma exposição de fotos acima do vidro por onde olhamos a cidade, uma exposição cronológica, mostrando a construção, o apartamento de Gustave Eiffel que se localizava na própria Torre e até uma comparação bem interessante da altura da Torre Eiffel com as demais Torres do mundo.

No primeiro e segundo andares (na verdade não me recordo bem o que tem em cada um) tem um filme bem interessante sobre a construção e sobre os acontecimentos que envolveram o monumento, mais fotos e informações sobre as alterações e reformas que ocorreram durante o passar dos anos, além de um pequenino museu, café e restaurante. E ao contrário do que se pode imaginar, tomar um café com croissant na cafeteria da Torre não é tão caro… e o chocolate quente é uma delícia!

Registrando nossa passagem na Torre Eiffel...

Registrando nossa passagem na Torre Eiffel…

DSC02697

É possível subir pelas escadas até o segundo andar, mas caso o objetivo seja mesmo subir até o topo, compensa ir de elevador, afinal terás que pegá-lo no segundo andar de qualquer forma. Nós optamos por subir de elevador – até porque o fôlego da gestante aqui não é mais o mesmo – e descer da mesma forma até o segundo andar, e de lá encarar os degraus, curtindo a estrutura da Torre, que é imperdível.

Descendo pelas escadas

Descendo pelas escadas

Vista do Jardins do Trocadero e do Senna

Logo em frente a Torre, tem o Jardins du Trocadéro, onde encontramos outra Marché do Nöel, para a felicidade dessa apaixonada pelo Natal.

DSC02717

Passeamos pelo famoso Parc du Champ-de-Mars, aquele gramadão lindo que fica aos pés da Torre, onde normalmente os turistas as pessoas ficam sentadas, fazendo pique-niques e batendo as tradicionais fotos pulando ou segurando a Torre Eiffel.

O gramado fica fechado/cercado no inverno para ser recuperado, o que achamos bem interessante…DSC02750

Momento romântico com direito ao pézinho ;)

Momento romântico com direito ao pézinho 😉

Homenageando nosso baby

Homenageando nosso baby

Seguindo o Parc du Champ-de-Mars até o final, encontramos a École Militaire ou Academia Real Militar de Luís XV, que foi fundada em 1751 para educar 500 filhos de oficiais que haviam empobrecido. Sua arquitetura foi encomendada por Luís XV para rivalizar com o Hôtel des Invalides (fotos logo abaixo), encomendado por Luís XIV, em 1670.

Não achamos nada de especial na mesma (e por isso sequer temos registro). Visitas só com uma licença especial!

Muito linda a grandiosa estrutura do Hôtel des Invalides e Esplanades des Invalides. Esse é um edifício grandioso e muito bonito, construído em 1676, para os veteranos de guerra feridos e sem lar, muitos dos quais haviam se tornado mendigos.

Fachada com canhões

Fachada com canhões

Panorâmica da fachada

Panorâmica da fachada

Pátio do Hôtel des Invalides

Pátio do Hôtel des Invalides

Mais tarde a Église du Dôme foi incorporada com seu reluzente telhado dourado, construída como capela particular do Rei Luís XIV. O famoso telhado dourado tinha o objetivo de refletir o esplendor de seu reino, sendo de uso exclusivo do “Rei Sol”. É um dos melhores exemplos da arquitetura francesa do século 17, o Grand Siécle.

A maior atração é o túmulo de Napoleão, mas optamos por não visitá-lo.

DSC02777

Église du Dôme…

...e o famoso teclado dourado

…e o famoso teclado dourado

Saindo do Hôtel des Invalides, aproveitando a trégua da chuva e caminhando poucos metros, chegamos na mais bela ponte de Paris, Ponte Alexandre III. Com decoração em Art Nouveau* de lampiões, querubins, ninfas e cavalos, que foi construída entre 1896 e 1900.

*Art Nouveau é um estilo de decoração do fim do século XIX e início do século XX, que possui linhas ondulares, assimétricas e entrelaçadas, sendo de uma delicadeza inconfundível. Vimos esse estilo nas casas em Bruxelas e após foi fácil identificá-lo em outros locais como na arquitetura de Barcelona e aqui em Paris. A capital francesa, aliás, foi inicialmente o centro principal da Art Nouveau no País, tornando-se após, o centro internacional do estilo. –> para saber mais a respeito: http://www.arquitetonico.ufsc.br/art-nouveau

DSC02794

DSC02800

Eiiii o que vocês estão combinando??

DSC02797

…era isso?? O que eu fiz?

DSC02795

Ao lado, o Grand Palais e o Petit Palais. O primeiro  com fachada em estilo Neo-clássico, construído em 1900, possui decoração Art Nouveau em ferro, porém como no seu interior estava instalada a famosa pista de patinação no gelo, a fila gigantesca nos impediu de conhecê-lo. 

DSC02813

O Petit Palais é sede do Musée des Beaux-Arts de Paris, também foi construído em 1900. Entramos no seu hall, e ficamos realmente encantados com a sua arquitetura e seus detalhes, em especial o seu teto.

Petit Palais - entrada

Petit Palais – entrada

Petit Palais - interior

Petit Palais – interior

Importante falar que todo esse passeio da Torre Eiffel até o Petit Palais foi feito a pé (em torno de 4km), com as devidas paradas nos monumentos (com direito a sentar um pouquinho, claro), parada para o almoço e muitas fotos.

De metrô (muito fácil de se guiar no metrô de Paris) fomos para o outro lado da cidade (ou do centro de Paris, onde ficam as atrações turísticas de Paris) para visitarmos a lindíssima Basílica Sacre Coeur.

DSC02831

Foi erguida por causa de uma promessa feita no início da Guerra Franco-Prussiana, por dois comerciantes, no caso da França ser poupada. As obras começaram em 1875. Apesar de ser grande e majestosa, e de ser um dos prédios católicos mais importantes da França, nunca foi considerada especialmente bonita. Suas portas de bronze mostram cenas da última ceia e outras passagens bíblicas. Sua cúpula oval é o segundo ponto mais alto de Paris, após a Torre Eiffel.

DSC02834

Chegamos na Basílica já noite (na verdade a tardinha, mas no inverno escurece muito cedo aqui também), e conseguimos vê-la toda iluminada.

Pertinho dali, o pecaminoso o famoso Mouling Rouge, construído em 1885, que tornou-se palco de musicais em 1900, sendo o berço do cancan.

DSC02852

O Montmartre, bairro onde encontra-se a Basília e o Mouling Rouge, é muito simples se comparado aos demais locais onde estão os pontos turísticos da cidade, mas nós gostamos muito de lá. Muitos bares, pessoas tomando café ou vinho nas calçada, artistas de rua expondo suas pinturas ou oferecendo caricatura, tudo isso fez com que mudássemos a nossa programação e  jantássemos por lá mesmo (mas não no Cabaret abaixo), encerrando esse agradável dia em um bairro que recomendaremos a todos.

DSC02842

Passeio de domingo

Num domingo de sol, já raros nesta época do ano, resolvemos fazer mais um passeio aqui por perto.

Combinamos com duas amigas e partimos para um passeio dominical… Objetivo? Conhecer uma famosa gruta que fica próxima à Grenoble.

Passeio sem grandes expectativas no início, é bem verdade, pois para mim grutas são para serem visitadas no verão 😛

Primeira parada nos rendeu uma visita a uma pequena feirinha de rua. Nada de especial! Veio a frustração! Mas relaxei, afinal só de sair de casa, passear com o Cris e as amigas já estava bom!

:/

E seguimos viagem… e a coisa começou a ficar boa. Já na estrada a paisagem mudou, e nos deparamos com a cena abaixo, a estrada passando por dentro da montanha!

Por dentro da montanha

Logo mais, um riachinho nos acompanhava pelo caminho, além dos inúmeros penhascos… pausa para o registro:

Em uma das paradinhas, encontramos uma lindo local onde “deveria ter” um café… no meio do nada, esse local serviu de inspiração para um “chá imaginário” com as amigas!! Só nós mesmas!!

Nosso almoço foi na pequena cidade de Pont-en-Royan, famosa pelas suas casinhas de pedras e coloridas, encravadas na montanha, chamadas casas em suspensão! O Rio Drôme também é lindo, com águas límpidas, compõe um local digno de pintura.

Apenas para registrar, Pont-en-Royan é um pequeno vilarejo (com 2,9km² de área), com 917 habitantes, segundo o censo de 1999. Repararam??? 😮  É menor que a nossa querida São Martinho!!

casas suspensas

Com a barriga cheia após prato principal e sobremesa 😛 fomos para o ponto alto do dia: Grottes de Choranche.

Na chegada, o penhasco coberto por árvores amarelo-alaranjadas nos encantam…

Grottes de Choranche é uma gruta pré-histórica, com mais de 70.000 anos, descoberta tardiamente em 1875, devido a sua difícil localização, na base de um penhasco. Possuindo 60 metros de diâmetro e 18 de altura, vocês podem imaginar a surpresa dos moradores da cidade de Chorange que a descobriram… como pode uma gruta deste tamanho (32km) estar dentro da rocha?

Olhando o penhasco sobre nossas cabeças

Tudo isso dentro da montanha

Centenas de estalactites tubulares de 4mm de diâmetro formam uma das grandes maravilhas naturais da Europa, por muitos desconhecidos. São formados por um mecanismo natural e perfeito, e muito demorado, afinal para ter-se 5cm desse canudo, demora mais de 100 anos. Os desta caverna chegam a ter 3 metros!!

Cavernas como essa servem como moradas para animais estranhos como os “olms” (anfíbios), há 60 milhões de anos. Esse animais não tem cor e são cegos. Sendo os maiores animais das cavernas do mundo, são raríssimos, claro.

A segunda parte da caverna possui muita água corrente e luzes coloridas que dão um charme todo especial ao local.

Para fechar com chave de ouro, um show na caverna catedral, na parte superior da gruta (que tem como extensão total 32km – apenas 500m são visitados) descoberta em 1950, sua beleza é potencializada pelo show de luzes e som.

Caverna Catedral

Saindo deste belíssimo passeio, que superou todas as nossas expectativas, chega a hora de voltarmos para Grenoble. Antes um registro do Grupo nota dez desse passeio…

…Que venham outros!!

As garotas…

…com o Cris

 

 

 

 

GENEBRA

Nossa primeira viagem para o exterior (o que aqui é muito fácil fazer) foi para Genebra/Suíça, no sábado dia 18/08. Na companhia da Débora Matos, uma brasileira que nos esperou para realizar esse passeio, saímos cedinho de Grenoble e viajamos por 2h10min.

Genebra é a segunda maior cidade da Suíça, apesar de ser pequena (com aproximadamente 190 mil habitantes e área metropolitana de 471 mil habitantes). Está entre as cidades com melhor qualidade de vida do mundo, sendo a quarta da lista.

Chegando na cidade, fomos conhecer o Lago Léman, também conhecido como Lago Genebra, que é o segundo maior lago da Europa Ocidental. A fronteira entre França e Suíça passa no meio do Léman. Nele há um lindo Jato d’água – Jet de L´Eau – símbolo da Genebra Moderna e que se eleva a 138m de altura, e pode ser visto de diversos pontos da cidade.

Jet de L´Eau

Lago Léman

Nas margens do lago há também o famoso Relógio de Flores (que nesta época do ano não está florido, mas mesmo assim é bonito), criado em 1955, que representa o poder da Relojoaria Suíça, sendo um dos pontos turísticos mais visitados da cidade.

Relógio de Flores e Ponteiros Brasileiros!

Em alguns cantinhos do lago, as pessoas ficam tomando sol e banho, lotando os pequenos gramados. Neste dia em especial estava muito quente e ali era realmente o melhor lugar para ficar.

Praia improvisada

Na “praia” com nossa amiga Débora

Fomos conhecer também a parte antiga da cidade, muito charmosa, com ruazinhas estreitas e muito arborizadas. Na foto abaixo vocês podem ver uma das várias praças e a arquitetura desta parte da cidade, onde os prédios são antigos, não muito altos e na grande maioria com flores nas pequenas sacadas. Tudo dando um charme especial a Genebra.

Genebra antiga

No Parc des Bastions visitamos o Muro da Reforma, ou Monument International de la Réformation, onde há a imagem dos pioneiros e protetores da Reforma protestante. O parque foi projetado em 1726 com o objetivo de servir como espaço para a caminhada real. Neste parque também fica a Universidade de Genebra.

Monument International de la Réformation

Parc des Bastions

Genebra é a cidade sede da ONU na Europa – a outra sede fica em Nova Iorque. É um complexo de edifícios chamado Palais des Nations, e abriga o Conselho de Direitos Humanos da ONU. Na frente da sede, há um grande corredor com as bandeiras de todos os países membros da ONU.

Esbanjando charme no Palácio das Nações

Bandeiras ao fundo

Nações Unidas

Em frente ao Palácio das Nações encontramos a Praça das Nações, um lindo espaço com fontes e com a Chaise Cassée (cadeira quebrada), monumento que é símbolo da luta para o desarmamento das minas terrestres, onde a perna quebrada da cadeira representa os mutilados pelas minas.

Fontes da Praça das Nações

Tentando consertar a Chaise Cassée

Nosso passeio durou apenas um dia, pois como Genebra é pertinho de Grenoble (140km) e a cidade é pequena, conhecemos quase todos os pontos turísticos.

Terminamos o dia com uma cervejinha em um bairro dito boêmio e partimos de volta para a França… cansados, mas muito felizes!!

Voltando para Grenoble

 Au Revoir!!